Pastoral - "O Presbítero da Sua Igreja " | Pb. Calebe Cunha


Você já passou por um problema pessoal e, andando pela Igreja, se deparou com um presbítero e se perguntou: “será que eu posso falar com ele sobre isso?”. Ou ainda ficou com alguma dúvida sobre um texto que leu, sobre como tomar uma decisão ou ainda está lutando com algum um pecado e precisa de ajuda: “será que eu posso falar com ele sobre isso?” Afinal de contas, o que faz um presbítero e como posso contar com ele?

Quando a Bíblia fala do ofício do presbítero no Novo Testamento, usa as palavras supervisor, bispo ou ancião, e quando estamos na Igreja Presbiteriana, pensamos que é um ofício que tem a ver apenas com a estrutura da IPB, que tem uma função mais burocrática. Mas é mais que isso.

Podemos aprender com Paulo sobre a função do presbítero em 1º Tm 3:1-7, que nos ensina algumas lições do que podemos procurar e esperar dos presbíteros da nossa Igreja, vejamos algumas:

  1. “irrepreensível, esposo de uma só mulher, moderado, sensato, modesto, hospitaleiro... não dado ao vinho, nem violento, porém cordial, inimigo de conflitos, não avarento”, ou seja, devemos ver no presbítero um modelo de comportamento cristão, que sabe se comportar de maneira a não ser repreendido em seu dia a dia, que respeita sua esposa e mantém sua vida familiar saudável, que sabe controlar suas emoções e temperamento e está pronto a receber os membros para o cuidado e a comunhão. Veja bem que isso não quer dizer que o presbítero é perfeito. Afinal ele é um pecador salvo pela Graça de Cristo assim como qualquer um de nós, mas que ao longo da vida ele aprendeu a tratar disso, e, dessa forma, pode nos ajudar também.

  2. “apto para ensinar” significa que podemos procurar um presbítero nas nossas dúvidas sobre a Palavra de Deus, naquele texto que não ficou muito claro na leitura ou no trecho de um livro que não sabemos se está certo mesmo, podemos procurar esses irmãos para esclarecer o assunto. Além disso, é natural que esses irmãos assumam o ensino oficial da Igreja como a Escola Dominical, os estudos semanais, as aulas para crianças e pregar no sermão de domingo de vez em quando. Devemos ver nos nossos presbíteros irmãos experimentados na Palavra que podem nos instruir sempre que possível.

  3. “que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito” nos mostra que podemos procurar nossos presbíteros para nos aconselhar sobre os problemas diários de família e nos socorrer naquelas dificuldades que não sabemos como lidar. Família e filhos certamente ocupam nossa mente todos os dias pois são sempre relações difíceis de lidar. Vários pecadores morando juntos e compartilhando a vida, procure seu presbítero, ele passa pela mesma coisa na casa dele e pode nos ajudar na nossa.

  4. “Que o presbítero não seja recém-convertido” é por isso que a maioria dos presbíteros são homens mais velhos, em inglês, por exemplo, são chamados de “elders” (anciões), exatamente por serem pessoas que estão caminhando na fé a muito tempo, sou seja, nas dificuldades da vida cristã, são esses os irmãos mais capacitados a nos ajudar a superar as provações.

Por fim, nossos presbíteros são responsáveis por nossas vidas espirituais como diz em Hb 13:17 “... [eles] zelam pela alma de vocês, como quem deve prestar contas...”, então busque conviver com eles e procure-os sempre que precisar, eles vão ficar felizes em ajudar pois se preocupam com as vidas dos membros da Igreja.

Você já orou pelos seus presbíteros hoje? Eles certamente estão orando por você!


Pb. Calebe de Oliveira Cunha (Igreja Presbiteriana da Barra Funda)

31 visualizações0 comentário